Como a logística eficiente de um e-commerce pode influenciar o mercado imobiliário

Impacto do crescente comércio eletrônico nos prestadores de serviços imobiliários.

Com mais pessoas em todo o mundo recorrendo a compras on-line para tudo, de produtos farmacêuticos e mantimentos a moda e calçados, o setor de comércio eletrônico tem crescido e, por mais que a sede das empresas possa ser administrada numa pequena sala, a grande tendência do mercado imobiliário para empresas de e-commerce tem sido a locação de espaço para armazenamento de mercadorias, como  casas em Porto Alegre.

O setor de comércio eletrônico está alimentando a demanda, mas ainda deve continuar se expandindo. Essa é a tendência no Brasil.

E ainda estamos engatinhando, enquanto países como China, Estados Unidos e Japão são os três principais players na atual esfera do comércio eletrônico (respondendo por 21%, 16,8% e 10,4% das vendas mundiais no varejo a partir de 2017, respectivamente, de acordo com a Euromonitor International e a Modern Spice Route Paypal).

Países como Índia e Canadá deverão ser os principais atores no futuro próximo, provavelmente ao lado do Brasil, se isso for possível e tivermos estrutura para consolidar nossas empresas de e-commerce.

Embora o mundo ainda esteja se adaptando ao boom do comércio eletrônico, o impacto que teve sobre outros setores associados, como a logística, também foi tremendo, especialmente para empresas que operavam em casas em condomínio em Porto Alegre e sentiram a necessidade de trabalhar num espaço menos robusto, designando apenas barracões para manter seus produtos.

Impacto do comércio eletrônico

O impacto do comércio eletrônico no setor imobiliário

Antes do início do comércio eletrônico, a logística tradicional era tão simples quanto mover mercadorias dos centros de fabricação para os centros de consumo por meio de um sistema de roteamento linear.

Os serviços de logística para comércio eletrônico, no entanto, devem adotar uma combinação de mecanismos de roteamento um para muitos, um para um e muitos para um, com base na disponibilidade de mercadorias e nos destinos de entrega.

À medida que os mercados de comércio eletrônico nas cidades metropolitanas e nas áreas suburbanas continuam a crescer, a necessidade constante de os mercados de logística aumentarem suas operações continua sendo fundamental.

O impacto do comércio eletrônico no setor imobiliário

Impacto do comércio eletrônico

À luz dos desafios e questões levantados pelo crescimento do comércio eletrônico, existem duas estratégias bem-sucedidas empregadas por desenvolvedores, proprietários e corretores. São elas:

  • Reduzir: quando a concorrência do comércio eletrônico diminuir o número de varejistas que alugam espaço, pare de criar mais espaço. Os desenvolvedores de varejo estão recuando. O dimensionamento de investimento em custos operacionais, de escritório e corretores está forçando o redimensionamento dessa verba para desenvolvimento de ações de marketing digital na internet;
  • Repensar: o comércio eletrônico criou uma nova lista de vencedores e perdedores no espaço de varejo. Proprietários e corretores devem repensar o mix tradicional de inquilinos para identificar imóveis que podem anunciar no varejo on-line.

Tendências imobiliárias impulsionadas pelo comércio eletrônico

logística eficiente de um e-commerce

Há um boom impulsionado pelo comércio eletrônico no setor imobiliário. Promotores imobiliários, proprietários e corretores comerciais cresceram cada vez mais preocupados com a saúde do mercado imobiliário, à medida que as vendas de comércio eletrônico parecem crescer exponencialmente.

E isso os tem ajudado a anunciar apartamentos à venda em Porto Alegre e diversos imóveis por todo o Brasil, para pessoa física. Mas também devem estar por dentro das possibilidades de anunciar para pessoa jurídica – o que pode garantir boas comissões!

O comércio eletrônico está criando um boom no mercado imobiliário industrial – especialmente o setor de armazém/distribuição e de centros de atendimento, onde varejistas on-line armazenam, escolhem e embalam itens a serem entregues nas casas dos compradores on-line.

Usando centros de atendimento, os varejistas on-line obtiveram uma vantagem de preço em relação aos varejistas de tijolos e argamassas, eliminando ou reduzindo os custos de espaço necessário para as duas principais funções de uma loja física: exibir produtos e armazenar inventário.

O primeiro é realizado on-line gratuitamente (quase) e o armazenamento é transferido do espaço de aluguel alto na loja de tijolos e argamassa para o centro de atendimento de aluguel baixo.

Essa importante vantagem oferecida pelos centros de atendimento é o motivo pelo qual os varejistas on-line os constroem rapidamente e em qualquer lugar.

Com os consumidores pressionando para poder comprar qualquer coisa de qualquer lugar e ter as mercadorias em suas mãos imediatamente, a questão da localização dos imóveis é o grande mote da logística para um e-commerce atualmente. E é algo que precisa de bastante atenção.

Enquanto há anos atrás, a localização de shopping centers e lojas de materiais de construção era essencial para o sucesso de uma loja, agora centros de distribuição devem estar localizados perto de centros populacionais para garantir a entrega rápida de produtos comprados na web.

Isso reduz o tempo e os custos de transporte, essenciais para manter os custos de entrega em domicílio baixos para os consumidores.

Soluções imobiliárias para um e-commerce eficiente

Tendências imobiliárias impulsionadas pelo comércio eletrônico

Devido ao ritmo incrivelmente rápido das operações, à grande variedade de mercadorias e à proliferação de outros fatores, o tamanho dos centros de distribuição aumentou significativamente. Hoje, elas são muito mais avançados tecnologicamente do que os de dez anos atrás.

É necessário não apenas armazenar uma ampla variedade de estoques, mas também o equipamento de manuseio de materiais e a tecnologia relacionada que impulsionam a operação em ritmo acelerado.

Dessa forma, podemos concluir que o crescimento contínuo das compras on-line está alimentando a demanda por imóveis maiores, inclusive dentro dos grandes centros urbanos.

Como muitos locais nos centros das capitais brasileiras e cidades de interior mais urbanizadas foram construídos antes do ano 2000, as instalações são menores e inadequadas – e ter espaços maiores para locação ou venda será o grande mote de sucesso para quem trabalha com e-commerce na atualidade.

Afinal, ter uma localização afastada continua sendo um ponto crítico para armazéns e centros de distribuição desenvolverem uma logística eficiente, a fim de atender à necessidade de entrega no mesmo dia para os consumidores.

Novidades que estão para chegar no Brasil

No Brasil, ainda vamos passar por novidades nesse quesito de e-commerce. Não satisfeitas com a simples venda de leads e tráfego, as plataformas de mídia social buscam preencher a lacuna do comércio eletrônico ao se tornarem transacionais; os usuários poderão concluir as compras sem sair da plataforma. A

 compra social já é padrão na China, onde 55% dos usuários de aplicativos sociais relataram comprar bens ou serviços diretamente em um aplicativo social.

Os serviços de mensagens privadas, que estão explodindo em popularidade, também devem se tornar transacionais. WhatsApp, Snapchat e Facebook Messenger estão desenvolvendo projetos para que consumidores comprem produtos diretamente em suas plataformas sociais.

Há rumores de que o Instagram esteja trabalhando em um aplicativo que pode ser comprado por completo e introduziu recursos de compras em sua plataforma principal, fornecendo uma imagem, descrição do produto e informações sobre preços – junto com um link direto para o site do comerciante, onde eles podem finalizar a compra (em vez de pesquisar, navegar, adicionar ao carrinho, finalizar compra).

Um recurso de pagamento nativo foi sutilmente adicionado ao aplicativo para alguns usuários, que agora podem começar a comprar sem sair do Instagram.

Portanto, também as redes sociais muito em breve irão ressignificar o mercado de venda online e, quem estiver atento a isso, deverá se posicionar estrategicamente em um imóvel que lhe garanta uma logística assertiva!

Gostou deste artigo? Compartilhe-o em suas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *